terça-feira, 5 de julho de 2011

Fragmentos de uma história de amor...

- Ei, você fala inglês?
- Oi?
- Um amigo italiano quer te conhecer, mas não fala português, você sabe falar inglês, quer conhecê-lo?
- Falo...mas...aff...quem é?
- Aquele ali ó...
E naquele exato momento, o som ensurdecedor de tunts tunts da balada desapareceu, assim como as pessoas ao redor, e tudo ficou iluminado.

*****

Avenida Paulista. Começo da noite. Muita, muita gente na rua. Seguimos em mais um dos muitos passeios por aquelas calçadas, para ir ao cinema talvez, ou apenas ao supermercado.
- Dê-me um beijo.
- Não!
- Um bacio, só uno!
- Aqui na rua não!
Ele me toma nos braços, e no melhor estilo Clark Gable me enche de beijos.
- Amore mio!
As vendedoras de uma loja saem na porta rindo e morrendo de inveja.

*****
(Celular)
- O que está fazendo aqui? Vá embora!
- Quero me despedir de você!
- Eu disse que não gosto de despedidas no aeroporto, vá embora!
- Por favor, me deixe ver você, onde você está?
- Não, eu disse para não vir! Vá embora!
- Por favor...
...
- Você já foi embora?
- Estou saindo pela porta...
- Ok, encontre-me aqui...
Ele estava lá, estático, sério. Corri em sua direção, nos abraçamos forte, nos beijamos pela última vez.
- Adeus...
Seu cheiro ficou em mim por muito tempo ainda...

*****

Foram meses de paixão, diversão, choro, brigas, reconciliações e romantismo, dois jovens descobrindo a vida, amadurecendo. Já faz 10 anos...se fosse hoje, tudo seria tão diferente...mas será que seria tão bom?
Clichê? Piegas? Contando assim, sem dúvida. Mas foi verdadeira, intensa, como uma história de amor deve ser.
Mudou para sempre.


Robert Doisneau - The Kiss

5 comentários:

Karina Branco disse...

Ainmeldels! Que coisa linda. Estou na TPM, e se você acha que seu post foi piegas, mais ainda fui eu que quase chorei lendo! Hahaha, lindo :*

Thiago M. Cezimbra disse...

Minha nossa. Arrepiou. Sério mesmo.

Francielly disse...

Deu uma palpitação no coração. Lindo!

Anônimo disse...

De otro. Será de otro. Como antes de mis besos.
Su voz, su cuerpo claro. Sus ojos infinitos.
Ya no la quiero, es cierto, pero tal vez la quiero.
Es tan corto el amor, y es tan largo el olvido.
Porque en noches como ésta la tuve entre mis brazos,
mi alma no se contenta con haberla perdido.
Aunque éste sea el último dolor que ella me causa,
y éstos sean los últimos versos que yo le escribo.

Então, Honey... disse...

Posso ser de outro, assim como você é de outra, mas nossa história será sempre um capítulo importante da minha vida, terei sempre um sentimento por você.

Postar um comentário

 
eXTReMe Tracker